2018/01/01
Nem novos nem simples: equilíbrios e paradoxos na prevenção do branqueamento de capitais (Artigo de opinião do Investigador Miguel da Câmara Machado na revista Vida Judiciária)

Miguel da Câmara Machado, Investigador do CIDP e Assistente Convidado da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, escreve um artigo de opinião no nº 205 de janeiro/fevereiro, da revista Vida Judiciária sobre as tensões e os paradoxos da nova lei da prevenção do branqueamento de capitais. Em análise “dois paradoxos que a nova lei contém e que não parecem novos, mas continuam a reclamar uma ponderação exigente não apenas do legislador, mas também dos intérpretes e aplicadores do Direito.” Os paradoxos da confiança e da determinação.